Spring MVC com Annotations – Configurando a Camada de Persistência

Fala pessoal, tudo bem?

Passando para compartilhar mais uma publicação minha no blog da MATERA Systems da série de posts sobre configuração do Spring sem XML.

Neste post, explico como configurar a camada de persistência(sem xml, é claro).

Link: http://www.matera.com/br/2016/10/24/spring-mvc-com-annotations-configurando-a-camada-de-persistencia/

Fico por aqui, espero que gostem e até breve.

 

Spring MVC com Anotações

Fala pessoal, tudo bem?

Estou passando mais uma vez para compartilhar meu ultimo post que foi publicado à alguns dias no blog da MATERA Systems.

Seguindo a linha dos meus últimos posts falando de Spring, desta vez o assunto foi a configuração do Spring MVC utilizando apenas anotações. Será que é possível?

Confiram no link: http://www.matera.com/br/2016/03/18/spring-mvc-com-annotations/

Fico por aqui e até a próxima.

Spring Framework com Annotations

E ai galera, tudo bem com vocês?

Passando para compartilhar meu ultimo post publicado no blog da MATERA Systems.

Publiquei um  Post há um tempo atrás, falando sobre como podemos usar os benefícios da Injeção de Dependências (DI) e Inversão de Controle (IoC) utilizando o Spring Framework no desenvolvimento de aplicações Java na plataforma SE.

Desta vez, meu novo post explica como utilizar o Spring Framework na plataforma SE sem a necessidade de utilização de arquivos xml para configuração, somente com annotations.

Quer saber como? Acesse o link e confira: Spring Framework com Annotations

Espero que gostem.

Me despeço por aqui e até a próxima.

Criando Eclipse Luna com JDK 8 [Portable] Windows

Olá galera,

Alguma vez você precisou executar o eclipse em uma máquina que não possuía uma versão do Java SE Development Kit (JDK) instalada? Para complicar a situação, a máquina em questão esta em um ambiente empresarial e para que seja instalada a versão da JDK que você precisa é necessário obter algum tipo de permissão e isso acaba levando um certo tempo pois na maior parte dos casos já existe uma JDK instalada e se faz necessário alterar as variáveis de ambiente.

O objetivo deste post é possibilitar que você crie sua versão do eclipse com a versão da JDK de sua preferência de forma portável, ou seja, você poderá executar diretamente de um pendrive aonde estiver.

Para este post, utilizei o Eclipse Luna 4.4.2 com Java SE Development Kit 8u45. Então vamos lá:

1º – Abra o arquivo da JDK com o 7-Zip File Manager e extraia o conteúdo do arquivo tools.zip em um diretório de sua preferência, no meu caso “c:\jdk8”

2º – No prompt de comando navegue até ao diretório criado no passo 1, no meu caso “c:\jdk8” e execute o abaixo:

1
Criando JDK portável

 

3º – Feito isso precisamos renomear alguns arquivos removendo o “.pack”

Arquivos para renomear

 

4º – Concluíndo

Arquivos renomeados
Arquivos renomeados

 

5º – Feito isso, teste sua jdk portável

Teste
Teste

 

Com isso concluímos a primeira parte, agora falta configurar o eclipse para utilizar esta JDK.

Descompacte o eclipse para o diretório de sua preferência e copie a JDK para dentro do diretório aonde o eclipse foi descompactado.

Eclipse com JDK

 

Feito isso, abra o arquivo eclipse.ini e insira a seguinte trecho:

-vm
.\jdk8\bin\javaw

Agora é só validar as configurações

Configuração concluída
Configuração concluída

 

Como dica, recomendo criar o workspace dentro da pasta do eclipse, desta forma seu eclipse portável e seus projetos te acompanharam em todo lugar.

Com isso finalizo por aqui, espero ter ajudado, até mais.

 

Fonte:

http://www.brucalipto.org/java/how-to-create-a-portable-jdk-1-dot-7-on-windows/

https://wiki.eclipse.org/Eclipse.ini

TRABALHANDO COM JSE E SPRING FRAMEWORK

E ai galera,

Alguma vez já pensou em utilizar os Padrões de Injeção de Dependências e Inversão de Controle com Spring Framework em aplicações desenvolvidas com Java SE ?

Criei um mini tutorial explicando como fazer isso disponível neste link: Trabalhando com JSE e Spring Framework

O post foi publicado no blog da empresa onde trabalho atualmente à MATERA Systems e caso tenham curiosidade existem outros posts sobre os mais variados temas disponíveis lá, vale a pena conferir.

Espero que gostem.

Fico por aqui e até à próxima.

Projeto Java Desktop com Maven 4º Post

Olá,

Projetinho parado há algum tempo devido a falta de tempo, mais vamos dar sequência para concluir.

Pra inicio, criei um JFrame dando o nome de Principal.

Como o nome já diz, esta será nossa tela principal do sistema, ela que será aberta quando nosso sistema for inicializado.

Para ela não irei fazer nada muito difícil, inseri somente uma barra de menu com dois itens.

Ficando da seguinte forma.

Image

Para a opção Estado do menu, criei um JDialog dando o nome de EstadoForm.

Para ele também nada excepcional, dois campos de texto e um menu com as opções novo, salvar, editar e excluir.

Resumindo nosso formulário ficou da seguinte forma.

Image

Como todos sabem Java é uma linguagem que trabalha com Orientação a Objetos.

Pensando toda nossa tela se torna um objeto assim como cada item da nossa tela também se torna um objeto.

Por enquanto vamos pensar em nossos botões e por sinal temos quatro.

Se cada botão é um objeto, significa que cada um terá um comportamento.

Ps.: Se você pensou que nem todo objeto tem um comportamento, acredite ficar parado sem fazer nada por incrível que pareça é um comportamento.

Em Java, comportamentos são implementados criando-se métodos.

Passo inicial seria pensarmos nas ações que devem ocorrer quando ocorrer um click no botão Novo.

Primeiro passo seria habilitar os campos para preencher e já vamos garantir que estes campos estejam limpos para que nosso usuário preencha com os dados que quiser.

Vamos criar dois métodos separados para executar esta ação.

Se você pensou por que dois métodos separados a explicação mais simples para isto seria a seguinte.

Como estamos utilizando componentes Swing, tais componentes possuem nativos a implementação de um Listener (ouvinte) para eventos, ou seja, um click, o apertar uma tecla, etc.

Para este caso estaremos criando um evento para o click no botão que criamos.

Para fazer isto, click com botão direito do mouse sobre nosso botão > action > actionPerformed.

A ferramenta irá gerar o seguinte método.

private void jButtonActionPerformed(java.awt.event.ActionEvent evt) {  }

Nosso trabalho agora será implementar o comportamento desde método, uma vez que quando o usuário efetuar um click em nosso botão, o Listener saberá que é este método que deve ser executado.

Voltando agora na parte em que disse que criaríamos dois métodos separados para cara ação.

Para as duas ações em específicas que seria habilitar e limpar, e tais ações são bem genéricos e podem ser reutilizadas pra vários outros botões, então dentro dos métodos que indicará qual será a ação de nosso botão, apenas incluímos a chamada para nossos dois métodos, ficando da seguinte forma.

private void jButtonActionPerformed(java.awt.event.ActionEvent evt) {

habilitar(true);

limpar();

//demais métodos

}

Como o foco deste post é somente fazer um exemplo bem simples dando os conceitos básicos para quem esta iniciando com Java encerro por aqui.

Abraço e até mais.

O projeto completo ficará disponível no Git Hub.

Auto Deploy Tomcat + Eclipse

Olá galera, tudo bem?

Quem trabalha com Java, Eclipse e Tomcat vai entender bem do que vou falar.

Sempre que estamos programando e fazemos alguma alteração em qualquer uma de nossas classes Java, ao salvarmos com o servidor iniciado, entramos automaticamente no modo frustração.

Temos algumas opções neste caso.

Esperamos e torcemos muito (mais muito mesmo) para que nada de errado aconteça, e mesmo assim quando menos esperamos o log nos mostra alguns erros, sendo o mais conhecido “PermGem Space”.

Eu sei da muita raiva neste momento, principalmente se for algo urgente.

Existe um motivo para isto acontecer, e caso queira se aprofundar e só ler a documentação do Tomcat que encontrará, não entrarei em detalhes.

Depois de algumas vezes acabamos desiludindo e partindo pra opção de o processo manual mesmo para que não tenha perigo, ou seja, alteramos o código, salvamos e iniciamos o servidor para garantir.

E o pior ainda pode acontecer, mesmo fazendo o processo manual pode acontecer de nossa alteração não ser aplicada e acabamos repedindo o processo novamente.

Isso acaba nos deixando incrédulos depois de algum tempo e passamos a aderir a um processo muito chato que é alteramos o código, clean no projeto, install e ai sim iniciamos o servidor.

Então segue uma dica de como resolver este problema.

Primeiramente damos dois clickes em nosso servidor

server

Após isso devera aparecer a seguinte janela

tela server

Selecione a opção modules e deverá abrir a seguinte tela

modules

Selecionamos a aplicação e vamos editar ela desmarcando a opção “Auto Reload Enabled”

tela editar

Após salvar esta configuração, basta iniciar o nosso servidor em modo Debug e pronto, seus problemas estão resolvidos.

Espero ter ajudado com esta dica.

Abraço e até mais.