3ª Etapa TCC – Estudo de Viabilidade

      Após obtermos o conhecimento sobre a regra de negocio da empresa e termos todos os requisitos funcionais e não funcionais do sistema, passamos para o estudo de viabilidade.

     Algumas pessoas acabam não levando a sério esta parte do projeto pulando esta etapa. Ao se pular esta etapa, assumindo se um risco, pois é nela que iremos identificar se o sistema proposto é viável ou não para a empresa. Para isto o estudo de viabilidade é divido em 3 partes que são: Viabilidade técnica, econômica e legal.

     Viabilidade técnica: Esse estudo visa avaliar a função, desempenho e limitações que um software terá dentro de uma empresa, com isso é possível identificar se o sistema proposto atenderá ou não as necessidades do cliente. A viabilidade técnica é citada por muitos como a mais difícil a se fazer, uma vez que a função do sistema pode acabar ficando um pouco vaga quando o cliente não sabe exatamente o que quer, com isso desempenho e limitações são feitos por meio de previsões, o que em alguns casos pode-se comprometer módulos do sistema ou até mesmo o sistema inteiro, não se obtendo o resultado esperado ao final. Em alguns casos por não se conseguir identificar exatamente o que o cliente deseja, acaba-se optando pelo modelo de ciclo de vida espiral e combinando ele com o modelo de prototipação, caindo em um loop infinito e tornando assim o projeto um fracasso uma vez que nunca se consegue chegar a um produto final.

     Viabilidade Econômica: Este estudo já tem como objetivo o levantamento de custos e impactos econômicos que o software terá dentro da empresa. Por exemplo, se a equipe de desenvolvimento possui o conhecimento necessário da linguagem de programação, se será necessária aquisição de alguma licença especial tanto para o desenvolvimento ou para a implantação do sistema dentro da empresa, custos com hardware, pessoal capacitado, ou seja, nesta etapa tende-se a avaliar todo e qualquer custo que ocorrerá tanto no desenvolvimento quanto na implantação do sistema, levando-se em consideração sempre o custo benefício. O objetivo final desta etapa e provar ao cliente que o investimento que ele esta fazendo terá lucro ou benefícios para a empresa, uma vez que se isto não for comprovando o projeto pode morrer nesta etapa mesmo.

     Viabilidade Legal: Para este estudo o objetivo passa a ser identificar aspectos legais do sistema. Para isto deve-se estar atento a leis federais, estaduais e municipais para que nenhuma delas seja infringida. Lembrando que caso a empresa que utilize um sistema e passe por uma fiscalização e nesta seja encontrada algum tipo de irregularidade com o sistema, como por exemplo, você foi contratado para desenvolver um sistema para um mercado, e quando você estava fazendo o levantamento de requisitos o cliente diz que precisaria de um controle “a parte” para entradas e saídas, e que este controle seja feito fora do controle fiscal, nesta hora, muitas vezes para alimentar seu ego e provar que se pode fazer tudo ou até mesmo por impulso, acaba-se dizendo que não terá problemas para se implementar e que não será nada difícil, e este controle “a parte” acaba sendo implementado. No caso desta empresa sofrer uma fiscalização e que seja detectado este controle “a parte” quem fez o sistema acaba respondendo como cumplice por sonegação de impostos e pode enriquecer seu curriculum com alguns anos de cadeia.

     Para que o sistema se torne viável ele deve ser submetido a estes 3 estudos e deve obrigatoriamente receber um aval favorável de todos. Uma vez que se o sistema não for viável financeiramente para a empresa, significa que a empresa não poderá pagar por ele. Se não for viável tecnicamente significa que o sistema não atenderá o cliente da forma que ele necessita e não terá o desempenho esperado. Se não for viável legalmente problemas com multas ou até mesmo prisões tendem a aparecer, gerando muitas reclamações por parte do cliente. Resumindo tudo, se o sistema não é viável para o cliente, com certeza não será viável para a equipe de desenvolvimento uma vez que será tempo gasto com um projeto que estava condenado ao fracasso desde seu inicio.

     Concluindo, vejo o estudo de viabilidade um ponto de extrema importância para um projeto. Uma vez que ele influência muito no produto final. E se você é um desenvolvedor sério que visa vender seus softwares, ganhar mercado, garantir a qualidade de seu produto e satisfação de seus clientes, vale muito a pena dar uma atenção especial a este item.

, , , , ,

  1. #1 por sdfsd em maio 8, 2012 - 1:59 am

    cade as referencias?

  2. #2 por Daniel em abril 24, 2014 - 7:39 pm

    Valeu godoy

  1. TCC – Ferramentas e Frameworks « Fernando Godoy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 433 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: